sábado, 11 de março de 2017

RODA DE CONVERSA: O que o professor precisa saber

 

1. O que é a roda de conversa?

    É uma situação de comunicação vivenciada num coletivo e, portanto, precisa preservar uma real interlocução entre as crianças
    Na roda, o que roda é a conversa e se ela não for valorizada por um planejamento cuidadoso, pode acabar ficando sem sentido, monótona, vazia, e sem graça;
    Não se pode confundir a roda de conversa com o momento destinado ao desenvolvimento de várias atividades, como marcar o calendário, conferir a lista de presença, verificar os aniversariantes do dia, observar como está o tempo, cantar algumas músicas;
    O principal objetivo da roda de conversa é a conversa propriamente dita ou bate-papo, como se costuma dizer.

2.Por que a roda de conversa é uma atividade importante na educação infantil?

Porque pode se configurar em um espaço de partilha e confronto de idéias, possibilitando ao grupo como um todo e a cada criança em particular, um maior conhecimento de si e do mundo;
Pelas possibilidades que proporciona em termos do exercício da responsabilidade individual e coletiva, do estabelecimento de metas e normas, da administração de problemas e desentendimentos, da tomada de decisões coletivamente e da prática da democracia;
Além disso, há o objetivo moral de promover a descentração das crianças de um único ponto de vista para a consideração e tentativa de coordenar múltiplas perspectivas, o que é importante em uma comunidade na qual as pessoas preocupam-se umas com as outras.

3.Como e quando realizar a roda de conversar com as crianças?

  • A roda de conversa deve ser uma atividade diária e pode acontecer em diferentes situações, como por exemplo, após a contação de histórias, durante o lanche, quando situações surgem e precisam ser resolvidas, conflitos precisam ser geridos, decisões precisam ser tomadas ou idéias mais complexas precisam ser discutidas;
  • Na maioria das vezes a roda é realizada na sala, mas pode acontecer no pátio,no parque, embaixo de uma árvore ou qualquer outro local que acomode bem as crianças;
  • Geralmente a roda é formada com as crianças sentadas no chão, mas pode acontecer em almofadas, cadeiras, bancos etc, e a menos que a professora esteja fisicamente impossibilitada, ela deve sentar-se junto das crianças indicando concretamente que faz parte do grupo;
  • A duração da roda vai depender do interesse e da capacidade de concentração das crianças;
  • As crianças devem ter a liberdade de escolher em que lugar da roda preferem sentar e a posição que desejam manter.
RODA DE CONVERSA: O que o professor precisa saber
RODA DE CONVERSA: O que o professor precisa saber

4. Que tema podem ser trabalhados na roda de conversa?

  • Informar e trocar ideias sobre diversos assuntos, como: notícias de jornal, acontecimentos na instituição, no bairro e na rua;
  • Sugerir, indicar, comentar programas culturais e de lazer (filmes que estão em cartaz no cinema, um programa de televisão atrativo, um bom livro para se levar para casa, uma brincadeira de rua interessante etc). Essa pode ser uma roda de fim de semana;
  • Falar sobre o que aprenderam nos projetos desenvolvidos na instituição;
  • Discutir os procedimentos e resultados de uma produção individual ou coletiva;
  •  Apreciar e comentar sobre alguma obra de arte trabalhada em sala;
  •  Discutir e organizar atividades;

5. Participando de roda de conversa significativa a criança pode aprender a:

  • tomar decisões;escutar e valorizar a opinião das outras pessoas; argumentar a respeito de um assunto; respeitar o outro; trocar opiniões; negociar problemas;
  • relatar episódios cotidianos e explicar fatos e fenômenos sociais e/ou naturais;
  • emitir opiniões pessoais sobre um determinado assunto;imaginar soluções para uma questão levantada e comunicá-las ao grupo;cooperar mutuamente enquanto trabalham juntas; resolver conflitos de forma harmônica;coordenar múltiplas perspectivas etc.

6.Para oferecer às orientações para a apropriação dessas aprendizagens, a professora pode:

coordenar a conversa sem, no entanto, sobrepor suas ideias às do grupo;puxar conversas interessantes, curiosas, que instiguem nas crianças vontade de saber, perguntar, falar etc;lançar novos assuntos para discutir;garantir que todas as crianças coloquem suas opiniões;ajudar as crianças a desenvolverem seus pensamentos;estimular a fala das crianças mais tímidas;criar situações desafiadoras para as crianças pensarem;escutar e acolher a opinião de todas as crianças tentando encontrar pontos convergentes e divergentes entre elas;problematizar as idéias trazidas pelas crianças para instigar o seu raciocínio;registrar algumas conversas para retomá-las posteriormente;evitar falas estereotipadas, os revezamentos e o coro etc

É importante lembrar:

  • As interações e as brincadeiras devem ser o centro do planejamento. Logo, para instigar o lúdico no momento da roda, a professora pode:
  • Propor brincadeiras para a organização das rodas (cantar uma música enquanto as crianças se organizam, utilizar fantoches para chamar a atenção das crianças para organizar a roda, arrumar o material em determinado local de forma que as crianças se aproximem até formar o círculo etc);
  • Utilizar o momento para o grupo tomar decisões sobre o que e onde brincar;
  • Escutar as crianças sobre suas brincadeiras preferidas etc.


Obs: Clique na imagem para abrir e depois (salvar imagem como).

Projeto Banquete da Poesia - 1º ao 5º ano

 

Projeto Banquete da Poesia 

1º ao 5º ano


Palavras-chave: Leitura - Poesias.


Público Alvo: Alunos do Ensino Fundamental 1º ao 5º anos.

Objetivo Geral: Promover o contato dos alunos com poesias de autores renomados para o público infantil, objetivando o despertar pela leitura e obras literárias envolventes.

Objetivos Específicos: 

  • Melhorar o desenvolvimento dos trabalhos de leitura na escola envolvendo todos os alunos do Ensino fundamental de 1º ao 5º ano;
  • Incentivar professores a trabalharem poesias e produzirem ações lúdicas de interesse coletivo, aprimorando o conhecimento em diferentes habilidades leitoras;
  • Instigar os educandos da participação coletiva no banquete da poesia, despertando para os autores em destaque nos textos, e do o prazer de ler poesias, bem como ser autor de suas próprias produções.
  • Conteúdos Abordados:
  • Gênero textual (Poesia)
  • Lista 
  • Sequências Didáticas
  • Rimas
  • Nome próprio

Desenvolvimento das ações:

  • Selecionar e imprimir as poesias desejadas para expor no banquete;
  • Realizar um debate com a turma, esclarecendo todas as informações pertinentes a poesia tais como: estrutura, finalidade, estrofes, versos etc.
  • Preparar uma mesa grande e organizar as poesias por autor em panelas ou jarras;
  • Criar nomes para os pratos. Ex: Sopa de Ruth Rocha - Salada de Vinicius de Moraes etc, esta ação deverá ser feita para todos os autores, lembrando que o professor poderá imprimir pelo menos 3 poesias de cada autor;
  • Sugere-se que a mesa do banquete seja exposta no pátio da escola 1 vez por semana, durante 1 mês, ou seja, 4 ou 5 vezes - tempo estimado para o desenvolvimento do projeto;
  • A leitura das obras literárias deverá ser realizada a critério do coordenador/professor. Ex: Convidar os alunos do turno de uma só vez - Convidar por turma - Convidar de 2 ou 3 turmas ao mesmo tempo. A escola resolve dependendo de suas regras;
  • O coordenador orienta os professores para desenvolver umas das atividades citadas acima nos conteúdos e trabalhar durante 1 semana. Ex: 1ª Semana - Atividades envolvendo nome próprio, destacando o nome dos alunos e dos autores das poesias. Ex: 2ª Semana - Trabalhar o gênero textual LISTA, com os títulos das poesias lidas, nomes dos autores etc. Ex: 3ª Semana - Desenvolver uma sequência didática envolvendo um das poesias que estão sendo trabalhadas - Ex: 4ª Semana - Confeccionar um jogo de RIMA e trabalhar as palavras que rimam dentro dos textos, circulando, colando, pintando etc. - Ex: 5ª Semana - Produzir com a turminha suas próprias poesias,orientando sempre quanto a estrutura, tema etc. Expor as criações no grande banquete de exposição no final da culminância do projeto.
  • Preparar uma animada exposição das produções escritas dos alunos, com o GRANDE BANQUETE DA POESIA, convidando os pais para participarem desse momento da vida dos filhos, os professores deverão com antecedência escolher/e ou sortear um aluno por turma para ler para o público a poesia que mais se identificou ou a dele mesmo ou a do banquete semanal.
  • Fazer uma premiação para as crianças com um verdadeiro banquete de lanches para finalizar o projeto com muita criatividade.

Sugestão de Autores:

  • Ruth Rocha
  • Vinicius de Moraes
  • Cecília Meireles
  • Clarice Lispector
  • Monteiro Lobato
  • Marina Colasanti
  • Érico Veríssimo
  • Ana Maria Machado
Avaliação do Projeto: As avaliações serão realizadas durante toda semana pelas ações executadas em sala de aula, e a fora dela, além da participação dos alunos.



Obs: Clique na imagem para abrir e depois (salvar imagem como).

95 ideias para a Páscoa

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes entre as culturas ocidentais. A origem desta comemoração remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem uma origem religiosa que vem do latim Pascae. Na Grécia Antiga, este termo também é encontrado como Paska. Porém sua origem mais remota é entre os hebreus, onde aparece o termo Pesach, cujo significado é passagem.

95 ideias para a Páscoa


























































Confira alguns moldes - Páscoa:
























Confira algumas Atividades sobre a páscoa:














95 ideias para a Páscoa